Açúcar: um veneno que (ainda) faz parte do nosso dia-a-dia

O açúcar é um veneno que está disperso na maioria dos alimentos processados, que hoje em dia fazem parte da alimentação da maioria dos Portugueses. A generalidade dos alimentos tem açúcares ou hidratos de carbono, com a exceção das gorduras (azeite, óleos, margarinas, etc.), da carne, pescado, ovos e pouco mais, o que leva a que os os farináceos, leguminosas, cereais e derivados, a fruta, os laticínios e também os legumes/hortícolas sejam fontes deste nutriente.
Quando falo de açúcar refiro-me aos hidratos de carbono, que podem ser complexos ou simples e aqui importa considerar não só os açúcares naturalmente presentes nos alimentos, mas acima de tudo aqueles que lhes são adicionados. É frequente ouvirmos falar em alimentos 0%, mas tendencialmente esse zero refere-se à gordura e não ao açúcar, de maneira que é fundamental ler os rótulos e prestar muita atenção quando se vai às compras.
No seguimento de outros trabalhos realizados neste âmbito, o projeto sinAzucar.org veio ajudar a clarificar esta mensagem de açúcares presentes nos alimentos. O autor, Antonio R. Estrada, um fotógrafo apaixonado pela alimentação saudável e nutrição desportiva, criou este projeto fotográfico com o objetivo de visualizarmos o açúcar oculto que está presente em muitos alimentos processados que consumimos habitualmente. A ideia foi simples, o autor fotografou o produto alimentar junto ao número de torrões de açúcar que o alimento contém, sendo que um torrão equivale a 4g de açúcar. Preparados?


Agora, algumas sugestões para reduzir drasticamente o consumo de açúcar através dos alimentos que usamos diariamente:
- Beber leite ou substitutos do leite sem adição de açúcar;
- Escolher iogurtes com menos de 5g de hidratos de carbono por 100g de iogurte;
- Preferir o pão escuro, com sementes, sem açúcar (ler nos ingredientes). O mesmo para as tostas;
- Cuidado com o consumo excessivo de fruta, já que uma peça contém em média 14g de frutose (açúcar). Apesar do açúcar da fruta ser saudável e naturalmente presente, em excesso, é armazenado sobre a forma de gordura.

Relativamente aos alimentos de má qualidade nutricional:
- Bolachas, jamais em tempo algum, mesmo as que dizem "sem açúcar";
- Cereais de pequeno-almoço ou barritas de cereais que se vendem no supermercado, esqueçam também;
- Os gelados de compra, as gomas e os chocolates devem ser evitados ao máximo;
- Se "precisarem" mesmo de comer chocolate, optem pelo que tem entre 70 a 85% de cacau e limitem o consumo a 1 a 2 quadrados por semana;
- Nada de molhos, tipo ketchup ou para saladas;
- Se não conseguirem abdicar dos refrigerantes, optem pelos 0% açúcar, mas não abusem;
- Se precisarem de uma sobremesa, prefiram as gelatinas 0% açúcar, com menos de 10 Kcal.

Surpreendidos?

*