Somos o que comemos #2

Comer de forma saudável está na moda. Desde os smoothies às sementes, bagas, algas, muesli, cereais do mais biológico e integral possível, fruta desidratada e saladas, há toda uma enorme variedade e possibilidade de escolha no que toca a comer de forma vitaminada. O movimento #eatclean está aí, com as frutas e os legumes a assumir o papel de destaque. À semelhança deste, o movimento do #running e exercício no geral leva cada vez mais pessoas a mudar os seus hábitos e estilo de vida, o que não deixa de ser ótimo.
Esta tendência já há muito que era aguardada, mas apesar do seu lado extremamente positivo, é nas sociedades em que a apologia do #eatclean e da alimentação super saudável existe, que as taxas de excesso de peso e obesidade são mais elevadas. 
Atualmente apercebo-me que há cada vez mais pessoas preocupadas com a sua alimentação e a forma como os alimentos interferem na sua saúde e bem-estar. Ainda assim, muitas delas eliminam o leite, derivados, cereais com glúten e outros alimentos, na premissa de que são potencialmente alergénicos e que por isso devem ser eliminados da alimentação, sem que existam de facto motivos para tal. Imagino que este cenário aconteça porque há cada vez mais artigos, notícias, reportagens sobre o assunto, para além das amigas e colegas de trabalho que já experimentaram todas as novidades no campo da alimentação, nomeadamente esta.
Comer de forma saudável está na moda e eu gosto! Mas apesar da fruta, legumes e cereais/sementes serem uma boa fonte de ótimos nutrientes, é fundamental não esquecer que tem de haver equilíbrio. Os laticínios (ou substitutos) podem e devem ser ingeridos diariamente, para além da proteína vegetal e animal. O segredo é simples e não se baseia em extremismos, há lugar para todos os alimentos com conta, peso e medida. Costumo dizer que uma boa base de alimentação é a principal mudança que todos devem colocar em prática o quanto antes, sendo que os benefícios conseguem-se a curto, médio e longo prazo. Um estilo de vida saudável é o passaporte para a longevidade e a parte boa é que depende essencialmente de nós. Let´s do it! :)

Créditos da imagem e receita aqui.

Mais sobre a rubrica "Somos o que comemos" aqui.

*

No Instagram em @myhappykids.


7 comentários :

  1. E eu tenho mesmo que mudar a minha alimentação!

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. Boa noite Teresa, sou da opinião de que quando não há motivos claros para isso, não há necessidade de o fazer. Apesar do glúten ter um potencial alergénico elevado, não há razão para evita-lo na alimentação. Agora, quando existem sintomas de uma eventual intolerância ou alergia, aí sim, há que retirar para depois introduzir e avaliar os efeitos.

      Eliminar
  3. Acho tudo óptimo, o problema é conseguir comer assim, tão saudável, fora de casa.
    No meu local de trabalho não só não tenho como levar comida, como nos arredores é tudo acompanhado com batatas fritas ou arroz. Que sugestões dá em casos como o meu??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite, realmente nem sempre é fácil comer de forma saudável, seja por haver pouca oferta fora dos grandes centros urbanos, ou porque as empresas não estão equipadas com copa, onde se possa aquecer a refeição.
      Caso não exista de todo restaurantes com soluções saudáveis, sugiro que leve de facto de casa. Pode optar por saladas com verduras, legumes, massa, arroz, cuscuz, bulgur, etc., acompanhados de frango (peito ou desfiado), atum, camarão cozido, salmão fumado, entre outros. Sopas frias também são uma opção, para além de smoothies.
      Nos restaurantes o "truque" será optar por pedir peixe ou carne ou omelete com pouca gordura (peça para usarem azeite), acompanhado só com verdes ou eventualmente arroz, se for necessário.
      Espero ter ajudado!

      Eliminar
  4. Bom dia,
    Ainda sobre a alimentação infantil..tenho um bebé da idade do Vicente, e tenho imensas dúvidas nas quantidades e horários.o nosso pediatra não ė rígido,e da muita liberdade as mães.mas gostava desaber a sua opiniao.neste momento dou:240ml de leite às 8h;iogurte as 10h30, sopa ao 12h(200ml)+fruta,leite às 14h30 (240ml),papa as 4h30 (150ml) e sopa e fruta às 19h (200ml).são sempre cerca de 900ml a 1000ml por dia e a sopa ou contém carne ou peixe.parece-lhe equilibrado? Posso saber como faz com o Vicente?obg e um beijinho .Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite Ana,
      De facto, cada criança é uma criança, de maneira que deverá sempre existir alguma liberdade no que respeita aos hábitos alimentares. Ainda assim, é possível falar sobre o que idealmente deverá ser feito.
      De tudo o que refere, apenas retiraria um dos lanches da tarde. O seu bebé janta às 19h e já não volta a comer até ao dia seguinte?
      Sugiro:
      Pequeno-almoço - 8h leite como habitual;
      Meio da manhã - 11h 1 a 2 iogurtes ou papa de cereais;
      Almoço - 13h Sopa com carne ou peixe + 1 peça de fruta;
      Lanche - 16h leite ou 1-2 iogurtes ou papa de cereais (se der papa de manhã não dar à tarde; mas pode fazer lácteo de manhã + 1 tarde, para além do pequeno-almoço);
      Jantar - 19h/19h30 Sopa com carne ou peixe (contrário do almoço) + 1 fruta;
      Ceia - opcional - Leite
      Espero ter ajudado. Beijinho

      Eliminar

Obrigada pelo seu comentário!