Mini-férias a quatro

Para aproveitar o fim de semana prolongado decidimos levar os mais velhos a conhecer Madrid e deixar o Vicente em Lisboa com os avós. Custou-me imenso deixa-lo porque durante a semana estou pouquíssimo tempo com ele, mas pensando racionalmente é melhor para os irmãos e também para nós... podemos andar de táxi mais facilmente, se chover não é tão complicado, a hora das refeições torna-se menos rígida, conseguimos subir e descer escadas para ver os museus e etc. com mais liberdade, enfim, um sem número de argumentos vs. as saudades que terei do Vi.
Não sei se acontece o mesmo convosco, ou se levam sempre os vossos filhos para todo o lado, se bem que, pelo menos uma vez por ano (o ideal seria pelo menos duas) saio de Lisboa uns dias só com o P. para podermos descansar verdadeiramente e namorar. Mas custa-me! É um misto de “preciso do meu espaço” com o “quero estar com os meus filhos”, não é fácil de gerir estes sentimentos contraditórios.
Madrid é uma cidade que fica perto e que é sempre agradável de visitar, todos os anos venho cá, geralmente em lazer, outras vezes em trabalho ou até por causa do blog. Pela primeira viemos com os miúdos, e por isso os programas terão de ser adaptados, vamos também aproveitar para rever alguns amigos e mostrar-lhes uma cidade que tão bem conhecemos.
Está previsto irmos ao Parque do Retiro, Museu do Prado e ao Thyssen (o meu preferido), Palácio Real de Madrid, Casa de Campo e Estádio Santiago Bernabéu (este último em homenagem ao Salvador que é super fã de futebol!). Nas cidades europeias sou adepta dos autocarros hop-on hop-off, acho que é das melhores maneiras de se conhecer as mesmas, ao mesmo tempo que as viagens são divertidas, pelo menos acho que os meus vão adorar. Podem ir acompanhando pormenores da viagem no meu Instagram.


 *



4 comentários :

  1. Adoro Madrid!!! Depois dê umas dicas de onde ir com os miúdos e onde fazer compras giras ;)

    ResponderEliminar
  2. I meu filho faz este mês 18m, e aí da só consegui deixa lo nos avós uma noite. Fico xom um vazio enorme, sinto me culpada e até pior mãe. Como diz racionalmente é bom para o casal, até mesmo para a independência da criança mas custa como um raio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, isso também me aconteceu com a minha primeira filha. Com a segunda tudo foi mais fácil, talvez porque começamos a relativizar mais as coisas e a precisar mesmo de tempo só para nós ;)

      Eliminar
    2. Espero que sim! Obrigada

      Eliminar

Obrigada pelo seu comentário!