Sevilha com crianças

Este domingo, depois da meia-maratona, fomos para Sevilha como planeado, numa viagem a cinco all by ourselves, sem ajudas de avós ou tios. Foi a primeira vez do Vicente nesta cidade que conhecemos tão bem, não fosse habitual irmos lá em tempo de Semana Santa ou de Feira ano após ano.
O Salvador e a Carminho já conheciam Sevilha, fomos lá com eles pelo menos duas vezes, e apesar de serem pequenos houve memórias que ficaram e que eles fizeram questão de recordar: a Catedral, a Praça de Toiros - Real Maestranza, o Parque Maria Luísa, entre outros lugares. De todos os que são mais icónicos, só não os tínhamos levado ao Real Alcazar, um monumento (ou conjunto deles) que eu adoro, não só pela mistura de culturas subjacente na arquitetura do espaço, mas também pelos magníficos jardins, geométricos como eu gosto.
Demos também um passeio de charrete, que eles adoraram, e que é a forma ideal a meu ver de conhecer os principais lugares de interesse da cidade. Recomendo para um primeiro dia, em formato de reconhecimento, e depois, num outro dia, apanhar um táxi para passar uma manhã ou tarde no Parque Maria Luísa e Praça de Espanha. Aproveitámos ainda para espreitar as novas coleções nas lojas que mais gostamos e escolher o blazer que o Salvador vai usar no dia da sua primeira comunhão.
A par da cultura e das compras, Sevilha tem uma série de novos restaurantes, cada vez mais contemporâneos e mais ao nosso estilo, no entanto, os clássicos continuam a ser uma boa aposta, nomeadamente:

Café Flores, uma loja e restaurante gourmet, perfeita para um final de tarde em modo tapas.
Casa Robles, um restaurante junto à catedral e com uma qualidade tremenda. As sobremesas das infantas de Espanha foram feitas por este restaurante (não preciso de dizer mais, certo?)
La Piemontesa, um italiano na Calle Marques de Paradas, informal q.b., com comida ótima e um bom ambiente.

Vejam mais dicas sobre Sevilha neste post.

 Carminho com vestido Tu Chique (AW2015) // Casaco de malha Zara (SS17) // Colar Terços da Lupinha // Merceditas Okka Spain.
Vicente com camisola de malha Neck Neck // Calções em malha Bonnet a Pompon // Botas Safari Okka Spain.
Salvador com polo Gap // Tshirt manga comprida Nícoli // Calças H&M // Botas safari Pés de Cereja.
Eu com camisa Zara (old) // Jeans Zara (AW16) // Brincos e fio meia lua Our Sins // Fio com cadeado Loewe // Colar com corno Aristocrazy // Óculos de sol Prada.

Mais uma conquista

Foi este domingo que corri pela primeira vez uma meia-maratona, mais precisamente 21,0975 Km. Uma prova dura, com muita preparação mental - mais do que física - para conseguir chegar até ao fim... Nunca tinha corrido mais de 14Km, os treinos podiam ter sido mais e melhores, mas as rotinas levaram a que fosse assim. Foi uma prova de superação pessoal, a concretização de uma meta que estabeleci a mim própria, não fosse eu de ideias fixas. Foi a evidência de que basta acreditarmos em nós próprios para ultrapassarmos os nossos limites e obstáculos, e mesmo havendo quem duvidasse de que seria capaz, eu acreditei do princípio ao fim.
O quilómetro 17 a 19 foram duríssimos, muitíssimo complicados, em que deixei de ter força nas pernas, não parecia haver forma de ultrapassar esta dificuldade, mas com resiliência e uns passos bem mais lentos, a capacidade física voltou a instalar-se e as pernas levaram-me até à meta. Obrigada a todas(os) as(os) que acreditaram e me incentivaram a chegar lá :)

Tempo oficial 02:05:53
Média 5´59´´


Grand Scénic Fun Stand



Experiências virtuais e interactivas é o programa que vos proponho para os próximos dias, no Grand Scénic Fun Stand, no Lx Factory em Lisboa, desde sábado até terça feira de Carnaval.
Ontem estivemos lá, e desde pinturas de luz a viagens por mundos virtuais, até uma dança sincronizada de bancos do Grand Scénic, as experiências prometem entreter todos, desde os mais novos, aos mais crescidos. 
A Carminho adorou as pinturas de luz e as viagens virtuais, repetiu vezes sem conta e não se cansou um segundo! Disse que era muito divertido e que queria voltar com o Salvador.
Um espaço de diversão para toda a família, pais, avós, crianças! Divirtam-se! Tanto quanto nós, espero.

Descubram tudo sobre o evento AQUI.

#RenaultGrandScénic
#RenaultGrandScénic#fun#family 



Ladybug

E foi assim que a Carminho foi hoje mascarada para o colégio. Super contente com o seu disfarce de Ladybug :) a peruca azul ficou em casa porque a Carminho achou que ia "ficar ridícula", palavras dela. O Salvador quis ir de jogador do Benfica e não lhe apeteceu entrar na foto... e os vossos, do que é que se mascararam?

Disfarce Ladybug da Miraculous - à venda na Fnac e Continente.
Ténis Veja. Elásticos com laçarotes em vichy preto e branco Ponytail.

Em preparação para a meia

Provavelmente alguns de vocês já saberão que costumo correr e que desde setembro que participo nalgumas corridas, nomeadamente nas de 10 Km. Foi depois da corrida de São Silvestre, no último dia do ano, que decidi que iria participar numa meia-maratona, acho que para me superar a mim mesma. Podia dar-me para "pior", é verdade, mas não sei bem porquê correr dá-me imenso gozo e é curioso perceber a evolução que tenho tido ao longo do tempo.
Primeiro queremos correr só 5 Km, e fazemo-lo à velocidade de um caracol, depois queremos aumentar a velocidade, depois aumentamos a distância, mais tarde queremos ser ainda mais rápidos, e quando chegamos aos 10Km em menos de 1h o cenário começa a ser ainda mais motivador. É bom participar numa corrida com mais de 5000 pessoas e ficar bem classificada, aliás considerando só as classificações de mulheres da minha idade, costumo ficar nas primeiras 100 :)
Este domingo vai acontecer a meia-maratona de Cascais e eu vou lá estar! Nunca corri 21Km, o máximo que fiz foram 14Km, e por isso começo a acusar pressão e a pensar "Será que vou ser capaz"? Não quero de todo desistir e adorava conseguir fazer tudo a correr, vamos ver como vai ser... na última semana tenho tido algumas dores num tendão e isso poderá ser o meu principal obstáculo.
A roupa e os ténis já estão escolhidos, hoje fiz a última corrida antes da prova, a minha alimentação já está a ser adaptada, para que no domingo tenha as reservas de glicogénio no máximo, o que me permitirá ter um maior rendimento. Algum(a) de vocês já participou em meia-maratonas ou algo do género, que conselhos têm para dar?


Lazy weekend

Depois da adrenalina de sexta-feira, o fim de semana serviu para recuperar forças. Em modo slow motion, este sábado e domingo foram de festa porque a minha mãe fazia anos, mas também de muita tranquilidade, sem programas nem obrigações. A Carminho está a recuperar lindamente, aliás está cheia de energia, nem parece que partiu o braço há uns dias... mas claro que há (imensas) coisas que não consegue fazer, nomeadamente tomar banho, vestir as partes de cima e os collants, calçar as meias e alguns sapatos, cortar a comida, segurar nalguns copos (se forem muito largos), de maneira que tenho andado mais disponível que nunca. Ela adora e eu também! :) Agora, umas fotos do meu look de ontem, num registo descontraído mas nem por isso menos elegante. O preto é sempre uma escolha segura e confesso que o look total black tem sido uma aposta nestes últimos dias.

 Camisola de lã e seda Wonder it // Jeans Zara (ambos de coleções anteriores)
Brincos e fio meia lua Our Sins // Fio com cadeado Loewe // Colar Aristocrazy
Slippers Gucci

Sweet lime: um food blog que vale a pena conhecer

Se há projetos que merecem ser partilhados, este é um deles: Sweet Lime é um food blog, onde podem encontrar não só receitas de pratos saborosos e saudáveis, mas principalmente bolos absolutamente fantásticos, de extremo bom gosto. Para a autora do blog - my big sister - a cozinha é um lugar terapêutico, não só pela possibilidade de aliar a estética da decoração da mesa e de um prato, mas também pelo convívio entre amigos e família. A juntar a estes bolos, sobremesas e pratos deliciosos, a fotografia e a escrita são outras das paixões da Andreia.
Cá em casa já tivémos a possibilidade de experimentar vários dos bolos, sendo os de chocolate os nossos favoritos, não fossemos nós amantes deste ingrediente. O que tem Maltesers é o preferido da Carminho, já o Salvador prefere o naked cake com chantilly e frutos vermelhos. Eu confesso que gosto de todos!
Convido-vos assim a visitar o Blog Sweet Lime para conhecer o seu trabalho fantástico, que vale a pena conhecer e caso precisem de um bolo para celebrar um aniversário ou dia especial, a Andreia também aceita encomendas. Agora, deliciem-se com algumas das imagens que fui lá buscar...

 Delicioso só de olhar, não acham? :)

Quando menos esperamos...

Quando menos esperamos as coisas acontecem, independentemente dos cuidados que temos diariamente para que os nossos filhos estejam bem e não se magoem. Na segunda-feira, quando fui buscar a Carminho e o Salvador ao colégio, ao vir embora a Carminho escorregou e caiu mal, ficou de imediato a chorar muito e a dizer que lhe doía imenso o braço. Naquele momento alguma coisa me disse que podia ter-se magoado a sério e foi quando olhei para o braço e vi o inchaço quase no imediato da queda, que percebi que tínhamos de ir ao hospital fazer raio X.
Entretanto a Carminho foi acalmando e parecia até melhor, mas o resultado do raio X indicou uma fratura do osso cúbito (no antebraço), pelo que tiveram de chamar o ortopedista para avaliar a situação e dizer quais seriam os passos seguintes. Resumindo, está com o braço imobilizado desde segunda e na sexta vai ao bloco para resolver a situação de vez.
Apesar de ser um procedimento relativamente simples, confesso que estou apreensiva pelo facto da Carminho ser sujeita a uma anestesia geral, já que será a primeira vez e nunca sabemos como o organismo reage a estas coisas. O discurso para a Carminho será que sexta-feira vamos voltar ao hospital para pôr o osso partido no sítio, e que para isso, o médico vai lhe dar uns remédios para dormir e não sentir nada. Depois ficará ainda 6 a 8 semanas com o "gesso" definitivo e na Páscoa já estará livre desta chatice.


Do Campo para a Mesa

Atualmente a indústria alimentar assume um papel fundamental nas escolhas e hábitos alimentares dos Portugueses, sendo essencial disponibilizar alternativas mais saudáveis, no sentido de promover e facilitar uma alimentação e estilo de vida saudável.
As mães e pais esperam cada vez mais que a indústria disponibilize produtos alimentares saudáveis, equilibrados e que cumpram as orientações nutricionais, especialmente quando falamos de alimentação infantil.
A Blédina é uma destas marcas, que faz por desenvolver produtos alimentares seguros e de qualidade. Com mais de 100 anos de experiência no que respeita à alimentação infantil, encara como um dever a escolha dos melhores ingredientes, de forma sustentável, para manter a qualidade dos seus produtos e responder às necessidades das mães/pais e dos bebés aquando do seu desenvolvimento e diversificação alimentar, ajudando assim a criar as bases para uma vida saudável.
Para conseguir os produtos alimentares mais adequados, Blédina assume compromissos bastantes claros, defendendo aquilo em que acredita e de forma a garantir que está a fazer a sua parte, nomeadamente em ajudar os Pais a potenciar um futuro saudável para os seus bebés.

O manifesto “Do Campo para a Mesa” pressupõe:
1. Ingredientes de qualidade e adequados aos bebés, em cada fase do seu crescimento.
2. Sustentabilidade dos ingredientes através dos seus agricultores e quintas, promovendo a biodiversidade.
3. Segurança e qualidade na produção, desde a transformação da matéria-prima até ao embalamento e venda do produto.

As receitas da gama Frutapura foram elaboradas em colaboração com especialistas em nutrição infantil, não têm adição de açúcares*, e possuem ingredientes de origem 100% natural.. Uma boa sugestão para as mães/pais que nem sempre têm tempo para preparar os purés de fruta dos seus bebés. Visitem o site www.blédina.pt onde poderão encontrar informação detalhada sobre toda a gama Blédina.


*Contém os açúcares naturalmente presentes na fruta.

Post escrito em parceria com Blédina.

Fontes:
http://bledina.pt/compromisso
http://www.alimentacaosaudavel.dgs.pt/ambientes-saudaveis/industria-alimentar/
Acedido a 22 de janeiro 2017.

Tosta de abacate e ovo

Os pequenos almoços de fim de semana sabem sempre melhor, imagino que por ter mais tempo para preparar esta refeição tão importante e que me sabe tão bem, mas também porque consigo estar mais tranquila e disponível para aproveitar o momento. Hoje para o meu pequeno-almoço preparei tosta de abacate com ovo e posso dizer-vos que o resultado final foi delicioso!
Apesar dos meus pequenos-almoços incluírem sempre ovos, raramente uso abacate, no entanto, depois da belíssima experiência de hoje, vou ter de passar a incluir mais vezes este fruto tão saudável nas compras regulares cá para casa. Eu adoro abacate, todas as semanas ele faz parte dos meus almoços (pelo menos 1 a 2 vezes), de maneira que esta passa a ser mais uma forma de o preparar. Agora deixo-vos com a receita super simples:

Tosta de abacate e ovo
Ingredientes
1 Abacate maduro
1 fatia de pão de milho (usei o do Continente Área Viva)
1 ovo biológico
Sal dos Himalayas e pimenta preta moída no momento

Como fazer
Lavar o abacate e corta-lo longitudinalmente, depois retirar a casca e cortar em pedaços. Com a ajuda de um garfo, migar o abacate e reservar.
Numa frigideira colocar um fio de azeite, aquecer e retirar o excesso com um papel de cozinha. Partir o ovo no centro da frigideira e deixar cozinhar, de forma a que a gema não fique totalmente cozida. Não deitar sal enquanto está a estrelar o ovo, deixa-lo para depois.
Entretanto vá torrando a fatia de pão, e quando o pão estiver pronto coloque-o num prato, depois acrescente o abacate já migado, o ovo estrelado e tempere com sal e pimenta.

Vejam mais no meu Instagram e na hashtag #nutricionistafilipacortez

Filhos com diferença de 4 anos de idade

Do Salvador para a Carminho a diferença é de apenas 21 meses, uma decisão pensada que se prendia com o facto de preferirmos ter os filhos seguidos para não perder o hábito de dormir menos bem, de mudar fraldas, de perder a nossa independência enquanto adultos e casal. Apesar de ter gostado da experiência, posso dizer-vos que a principal desvantagem foi ter de lidar com os ciúmes do Salvador face à Carminho, que ainda se mantêm.
Quando o Vicente nasceu, a diferença para a Carminho já era de quatro anos e para o Salvador de seis. Apesar de existirem ciúmes por parte dos mais velhos sou da opinião que se levou melhor, principalmente porque eles já eram mais crescidos e racionalmente aceitaram melhor a divisão do espaço e das atenções por parte da mãe. Ouvi várias vezes que "a mamã só quer o Vicente", "já não quer brincar connosco", etc. e explicar-lhes que quando eles nasceram foi exatamente igual, porque os bebés são pequeninos e precisam de ajudar para comer, tomar banho, e outras necessidades básicas, nem sempre foi tarefa fácil.
Usei também algums estratégias para ajuda-los a integrarem o Vicente nas rotinas, e não sentirem que o seu irmão bebé era um boneco em que só a mãe podia mexer, passaram por:
- Pedir-lhes ajuda para preparar o banho e mudar a fralda;
- Serem eles a escolher a roupa do irmão;
- Dar a sopa, fruta ou papa;
- E participar noutras tarefas do dia-a-dia do Vicente.
Hoje em dia, tendo o Vicente já 2 anos e 4 meses (feitos hoje), o espaço de cada um deles já está mais definido nas suas cabeças e apesar do Vi precisar de mais cuidados e atenção, acho que o Salvador e a Carminho estão mais tranquilos e sempre que podem brincam com o irmão. Para além disso, é comum ouvir os mais velhos dizer que o mano bebé é "mesmo querido", ensinam-no a contar, as cores, ajudam com os puzzles, é super gratificante, dá gosto vê-los assim.

 Vicente com camisa e jardineiras da Knot (AW16). Botas safari da Okaa (AW16).
Salvador com camisa e calças Knot. Botas Pés de Cereja (AW16).
Carminho com blusa Bonpoint da Bazaar (AW16), calções Antimilk (antigos). Sapatos Okaa (AW16).
Eu com blusa Sincerely Jules (esgotada), jeans Topshop, brincos Our Sins.

Decoração: 
Sofá Ma Puá.
Piano Happy Faces Amoreiras.
Cubo de atividades O Quarto dos Brinquedos.
Cestos Zara Home.


Gucci slippers: a minha mais recente fashion crush

Para quem não sabe, os Gucci slippers são uns sapatos da marca, versão "chinelo" ou mules ou loafers sem parte de trás, como os quiserem descrever. Já os tinha visto no final do verão e gostei bastante, mas fiquei a pensar que teria alguma dificuldade em usa-los porque são abertos atrás e têm pelo, e o nosso inverno é mais húmido do que seco, ao mesmo tempo que são it shoes que não passam despercebidos, e a ideia de andar na rua e ser o alvo das atenções, fizeram com que me fosse esquecendo deles.
Quando estive na California vi uma rapariga na rua com eles e AMEI, estava giríssima, super descontraída mas com muito estilo, de mom jeans, uma blusa oversize e uma carteira pequena, e aí pensei que aquele modelo de sapatos era perfeito para usar na meia estação (na California nunca é Inverno a sério). Há coisa de uma semana, não me perguntem porquê, voltei a cruzar-me com eles e não me saem da cabeça, já viraram obsessão!

 Gucci slippers and mules aqui.